quarta-feira, 22 de maio de 2024

Ceará Registra Melhor Nível de Água em Açudes dos Últimos 15 Anos



A quadra chuvosa de 2024 trouxe um alívio significativo para os açudes do Ceará, com o melhor aporte de água registrado nos últimos 15 anos. Segundo dados da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos do Ceará (Cogerh), nessa terça-feira (21), os reservatórios do Estado estavam com 56,9% de sua capacidade total preenchida, o melhor índice para o mês de maio desde 2012.

Níveis Históricos e Comparativos
A última vez que os açudes cearenses estavam acima desse percentual foi em 2012, quando registraram 63,1%. Em 2013, o nível caiu drasticamente para 41,5% e, desde então, só voltou a ultrapassar os 50% em 2023. Este aumento significativo no volume de água é resultado das chuvas intensas e regulares que ocorreram desde o início do ano.

Contribuição da Quadra Chuvosa
O período chuvoso, que vai de fevereiro a maio, teve um impacto crucial no aumento dos níveis dos reservatórios. Até abril, todos os meses registraram chuvas dentro ou acima da média histórica. Embora os números de maio ainda estejam sendo atualizados pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), até o dia 21, o acumulado estava 40,8% abaixo da média histórica de 90,7 milímetros.

Reservatórios em Destaque
Atualmente, 54 dos 157 açudes monitorados pela Cogerh estão sangrando, o que significa que atingiram sua capacidade máxima de armazenamento. O açude Araras, o quarto maior do Estado, é um dos que estão nesta condição. Os maiores reservatórios do Ceará, Castanhão, Orós e Banabuiú, também apresentaram volumes significativos:

  • Castanhão: 36,5% cheio
  • Orós: 75,1% cheio
  • Banabuiú: 42,9% cheio

Castanhão e Banabuiú estão na categoria de “alerta”, com capacidade entre 30% e 50%, enquanto Orós está classificado como “muito confortável”, com mais de 70% de sua capacidade preenchida.

Uso Sustentável e Futuro
Tércio Tavares, diretor de operações da Cogerh, enfatizou a importância do uso racional da água, mesmo com o aumento significativo nos volumes dos reservatórios. “Temos que garantir esse bem finito não somente para os nossos dias, mas sobretudo para as próximas gerações”, destacou.

Situação das Bacias Hidrográficas
Sete das 12 bacias hidrográficas do Ceará começaram maio em situação “muito confortável”: Acaraú, Coreaú, Metropolitana, Serra da Ibiapaba, Salgado, Litoral e Baixo Jaguaribe. No entanto, 19 açudes ainda são considerados críticos, com volumes abaixo de 30%, sendo o açude de Favelas em Tauá o mais preocupante, com apenas 1,36% de sua capacidade preenchida.

Gestão de Recursos Hídricos
Os Comitês de Bacias Hidrográficas definiram tetos máximos para a liberação de água dos açudes no primeiro semestre de 2024. Por exemplo, Banabuiú deve ceder 1.000 litros por segundo, Orós 2.000 L/s, e Castanhão teve uma vazão aprovada de 14 m³/s. Após o encerramento da quadra chuvosa em junho, uma nova discussão sobre a gestão da água será realizada.

O Ceará celebra um ganho hídrico significativo em 2024, trazendo esperança para a sustentabilidade dos recursos hídricos do Estado. No entanto, a necessidade de um uso consciente e eficiente da água continua a ser uma prioridade para garantir a disponibilidade desse recurso vital para as próximas gerações.

Para mais informações sobre a situação dos açudes e outras notícias relacionadas à gestão dos recursos hídricos no Ceará, continue acompanhando nossas atualizações.